Publicado em 02/12/2019 às 22h20.

Bolsonaro admite recuar sobre licitação que exclui Folha de S.Paulo

Presidente viola princípios constitucionais de impessoalidade e moralidade ao excluir jornal de edital, segundo especialistas

Redação
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

 

Em entrevista ao Jornal Record nesta segunda-feira (2), o presidente Jair Bolsonaro admitiu que o governo analisa a possibilidade de “voltar atrás” na licitação da Presidência da República para fornecimento de noticiário da imprensa que excluiu o jornal Folha de S.Paulo.

“A questão da Folha de S.Paulo não é de hoje. Para a Folha de S.Paulo as eleições não acabaram. Agora, se isso [a exclusão do jornal da licitação] ferir qualquer norma ética ou legal, a gente volta atrás sem problemas. De qualquer maneira a gente vai reduzir essa despesa [com assinaturas de veículos de comunicação] também, sem a ideia de perseguição”, disse.

Edital de pregão eletrônico publicado na última quinta-feira (28) no Diário Oficial da União prevê a contratação por um ano, prorrogável por mais cinco, de uma empresa especializada em oferecer a assinatura dos veículos de imprensa à Presidência. A lista cita 24 jornais e 10 revistas. A Folha não é mencionada.

Marcado para 10 de dezembro, o pregão eletrônico tem valor estimado em R$ 194 mil: R$ 131 mil para jornais e R$ 63 mil para revistas. O edital da Presidência prevê, por exemplo, 438 assinaturas de jornais, sendo 74 de O Globo e 73 de O Estado de S. Paulo. Com informações da Folha.

PUBLICIDADE