Publicado em 17/12/2015 às 08h37.

‘Consumidores não podem ser punidos’, diz associação Proteste

Proteste conclama usuário do app a lutar pelos seus direitos e assinar um abaixo assinado para dar força ao movimento

Redação
Proteste cria abaixo-assinado para pedir investigação à 3ª Câmara de Consumidor e Ordem Econômica da Procuradoria Geral da República por práticas comerciais contra o Marco Civil da Internet por parte das operadoras
Proteste cria abaixo-assinado para pedir investigação à 3ª Câmara de Consumidor e Ordem Econômica da Procuradoria Geral da República por práticas comerciais contra o Marco Civil da Internet por parte das operadoras

 

O bloqueio do WhatsApp, por 48 horas, é “ilegal e desrespeita a garantia de neutralidade da rede preservada pelo Marco Civil da Internet”, segundo a Proteste, uma associação de defesa dos direitos dos consumidores que se manifestou em sua página na internet após decisão judicial divulgada na quarta-feira (15).

De acordo com a entidade, “as operadoras estão querendo nos impedir de usar os serviços de voz de aplicativos de troca de mensagens, como o Whatsapp e outras aplicações, como Viber e Messenger do Facebook”.

Os milhões de consumidores brasileiros, na opinião da Proteste, não podem ser punidos por conta do interesse das operadoras. “Mesmo utilizando o número de celular do usuário, o serviço de voz do WhatsApp é oferecido por meio da Internet, não se trata de uma ligação tradicional, e se dá por meio de pacote de dados, que é diferente de uma ligação da telefonia”, diz a associação, ao conclamar os usuários do app a lutar pelos seus direitos e assinar um abaixo assinado para dar força ao movimento.

Assine o abaixo-assinado (clique aquipara dar força ao movimento, que pede investigação à 3ª Câmara de Consumidor e Ordem Econômica da Procuradoria Geral da República por práticas comerciais contra o Marco Civil da Internet por parte das operadoras. Confira abaixo alguns zoações de internautas no Twitter: