Publicado em 21/01/2020 às 20h40.

Enem: falha em primeira edição no governo Bolsonaro é a maior desde 2010

Em 2009, exame vazou e foi adiado; no ano seguinte, 9.500 foram afetados por erro, mas puderam refazer a prova

Redação
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

O primeiro Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) realizado no governo de Jair Bolsonaro teve a maior falha desde 2010. Ministro da Educação, Abraham Weintraub chegou a anunciar que a edição de 2019 foi a melhor da história, mas pouco depois do anúncio das notas começaram a aparecer falhas.

Mais de 60 mil candidatos já solicitaram correção da nota, erro admitido pelo governo, que diz estar trabalhando para resolver o problema, que foi inédito na história do exame. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), contudo, diz que falha atingiu 5.974 estudantes, o que representa 0,15% dos participantes.

Desde 2010 o órgão não cometia falhas com um número tão elevado de afetados. Há um histórico de problemas no Enem desde 2009, quando a prova ganhou o formato atual, ainda no governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Naquela edição a prova vazou, e o MEC (Ministério da Educação) teve de adiar o exame. A decisão atingiu todos os 4,1 milhões de inscritos. Com informações da Folha de S.Paulo.