Publicado em 27/01/2016 às 17h20.

Grávidas que desistem de viagem a locais com Zika têm reembolso

Companhias aéreas se dispõem a devolver o dinheiro da passagem, mas também dão a opção de reagendamento do voo

Folhapress

Grávidas com passagens aéreas compradas para locais com casos comprovados do vírus Zika poderão pedir reembolso ou reagendar voos.

As companhias aéreas TAM, LAN, Gol e United Airlines confirmaram que darão esses benefícios.

O Zika é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti e não há ainda cura ou vacina. Casos de Zika proliferaram em vários países da América Latina e Caribe, causando particular alarme entre grávidas por estar ligado ao nascimento de bebês com malformações, como microcefalia.

A Latam Airlines, responsável pela TAM e LAN falou, em nota, que gestantes com viagens ao Brasil, Colômbia, El Salvador, Guatemala, Guiana Francesa, Haiti, Honduras, Martinica, México, Panamá, Paraguai, Porto Rico, Suriname e Venezuela podem pedir benefícios.

Passageiras grávidas com viagem já iniciada podem adiantar o retorno (sujeito à disponibilidade de assentos), e as que ainda não iniciaram viagem poderão alterar o destino do voo (sujeito ao pagamento de possíveis diferenças de tarifas) ou solicitar o reembolso do bilhete. Para isso a solicitante deverá apresentar declaração médica mencionando as semanas de gestação. Acompanhantes também terão benefícios.

Já a Gol afirmou que grávidas que quiserem cancelar ou antecipar o retorno de uma viagem, poderão fazê-lo sem a cobrança de taxa ou solicitar o crédito para emissão de um novo bilhete em até 12 meses.

PUBLICIDADE