Publicado em 22/11/2019 às 12h43.

Morre rabino Henry Sobel

Ele foi uma voz firme em defesa dos direitos humanos no país

Redação
Foto: Reprodução/Federação Israelita do Estado de São Paulo
Foto: Reprodução/Federação Israelita do Estado de São Paulo

 

Morreu nesta sexta-feira (22), aos 75 anos, o rabino Henry Sobel. Ele estava em Miami, nos Estados Unidos, e faleceu por complicações associadas a um câncer.
O sepultamento acontecerá no domingo (24), no cemitério Woodbridge Memorial Gardens, em Nova Jersey.

Rabino emérito da Congregação Israelita Paulista (CIP), Sobel foi uma voz firme em defesa dos direitos humanos no país, com destaque para sua atuação na luta pelo esclarecimento da morte do jornalista Vladimir Herzog, também de origem judaica, quando este estava em poder dos órgãos de repressão da ditadura militar, em São Paulo, em 1975.

Na ocasião, ele se recusou a enterrar Vladimir Herzog na ala dos suicidas do cemitério israelita, por rejeitar a versão oficial acerca das circunstâncias da morte.

O rabino também se juntou a líderes de diferentes religiões num ato ecumênico em homenagem a Herzog, em 31 de outubro de 1975, uma semana depois de seu assassinato, na Praça da Sé. Além de Sobel, estavam presentes o católico Dom Paulo Evaristo Arns e o protestante Jaime Wright.

PUBLICIDADE