Publicado em 17/08/2019 às 13h30.

MP do Rio oferece denúncia contra dois filhos de Flordelis

O Ministério Público pede que Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cezar dos Santos de Souza sejam condenados por homicídio qualificado

Agência Brasil
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do estado do Rio de Janeiro, denunciou Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cezar dos Santos de Souza, filhos da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD), 58 anos, pelo assassinato do marido da parlamentar, Anderson do Carmo de Souza, de 41 anos.

De acordo com a denúncia, na madrugada do dia 16 de junho, por volta das 3h30, na residência do casal, em Niterói (RJ), Flávio desferiu diversos disparos de arma de fogo contra Anderson, causando a morte do padastro.

Ainda segundo o documento, Lucas atuou como cúmplice do irmão pois, “sabedor da intenção de Flávio, bem como dos motivos e do plano de execução, a tudo aderiu e o ajudou a adquirir a arma utilizada no crime”.

Flávio também foi denunciado por manter, em sua residência, uma pistola calibre 9 milímetros, acompanhada de acessório de mira ótica e carregador, uma arma de uso proibido ou restrito.

Além de não possuir autorização para portar a arma de fogo, o número de série da arma estava raspado. Os peritos conseguiram identificá-lo somente em laboratório.

Na denúncia, o Ministério Público pede que Flávio e Lucas sejam condenados por homicídio qualificado, com pena de reclusão prevista de 12 a 30 anos, e Flávio também por posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, com pena prevista de três a seis anos de reclusão.

Primeira fase do inquérito – Há três dias, a Polícia Civil indiciou Flávio e Lucas pelo assassinato do pastor Anderson.

A titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, Bárbara Lomba, pediu a prisão preventiva dos dois, que estão presos desde 20 de junho.

Ao entregar o inquérito ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, a delegada pediu que Flávio e Lucas respondam pelo crime de homicídio qualificado.

A delegada Bárbara Lomba desmembrou as investigações e dará início agora à segunda fase do inquérito, para identificar possíveis coautores do crime.

PUBLICIDADE