Publicado em 01/06/2020 às 13h52.

Não serão autorizados atos contrários no mesmo dia, horário e local, anuncia Doria

No domingo (31), manifestantes antifascismo e bolsonaristas pró-fechamento do STF entraram em confronto na Av. Paulista

Redação
Foto: Governo do Estado de São Paulo
Foto: Governo do Estado de São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira (1º) que não serão autorizados atos politicamente contrários no mesmo dia, horário e local. No último domingo (31), manifestantes antifascismo e bolsonaristas pró-fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal entraram em confronto na Avenida Paulista.

A atuação da Polícia Militar foi criticada por ativistas, que relataram força excessiva contra os manifestantes pró-democracia.

“Tudo o que nós não precisamos neste momento é de confronto. O confronto não fortalece a democracia, ao contrário, enfraquece. E justifica, lamentavelmente, o discurso autoritário daqueles que pretendem retomar a ditadura no Brasil e desejariam justificar por confrontos públicos em ruas, praças e avenidas a necessidade de intervenção militar”, justificou o governador, de acordo com o UOL.

Doria afirmou que a decisão de proibir atos contrários no mesmo dia foi tomada em conjunto com a prefeitura de São Paulo. A orientação, a partir de agora, é que os manifestantes optem por dias diferentes, ainda que nos finais de semana.

Durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, o secretário de Segurança Pública do estado, general João Camilo Pires Campos, afirmou que a PM passará a fazer triagem para controlar o material que os manifestantes levem para os atos. Também no domingo, uma mulher estava com um taco de beisebol.