Publicado em 03/04/2016 às 08h00.

Número de casos de chinkungunya dispara no Nordeste

Crescimento de casos da doença aumenta 380% em relação ao ano de 2015 inteiro

Redação
OMS alerta sobre o zika vírus. (Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas)
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Um dado alarmante sobre a Chinkungunya vem assustando a população do Nordeste. Segundo dados dos centros de saúde da região, o número de casos da doença já passa dos 12 mil em 2016 contra 2,6 mil casos em 2015 inteiro, caracterizando um aumento de 384% na incidência dos casos.

Em entrevista ao G1, um pesquisador da USP traçou um panorama sobre o surto da doença nesse ano:“O surto de chikungunya, ele está pegando bastante volume no Nordeste, particularmente depois do carnaval a gente percebeu vários casos de infecções agudas de pessoas que foram infectadas no período do carnaval”, aponta Paolo Zanotto, virologista do Inst. de Ciências e Biomédicas da USP.

A chikungunya é transmitida pela picada do Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue e da zika. A doença causa manchas vermelhas na pele, coceira, febre alta e dor no corpo.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.