Publicado em 08/11/2015 às 14h57.

Tragédia em Minas: MP quer indenização para cidades capixabas

Em inquérito civil, Ministério Público do Espírito Santo vai apurar consequências e impactos provocados pelo rompimento das barragens

Agência Brasil

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MP-ES) abrirá inquérito civil para apurar as consequências e os impactos sociais e ambientais provocados em municípios capixabas pelo rompimento das barragens da empresa Samarco, em Bento Rodrigues, distrito de Mariana (MG). Nesta segunda-feira (9), quando a lama de rejeitos das barragens deve chegar aos municípios capixabas de Baixo Gandu, Colatina e Linhares, uma equipe técnica fará a apuração dos bens ambientais afetados.

A previsão é que o nível do rio suba até um metro e meio e que o município de Colatina tenha o abastecimento de água suspenso em razão da lama na água do Rio Doce.

O MP também já orientou os municípios capixabas a elaborarem laudos de gastos com prejuízos e atividades emergenciais com o episódio, a fim de que, a seu tempo, possam ser ressarcidos.

De acordo com o MP, os promotores de Justiça estão de sobreaviso para acompanhar de perto o episódio e, dentro de suas atribuições, dar todo apoio necessário ao poder público e à população afetados.

PUBLICIDADE