Publicado em 02/01/2022 às 13h00.

Associação do setor de cruzeiros rebate recomendação da Anvisa

Em nota, Clia Brasil afirma que setor cumpre os protocolos e infectados representam 0,2% da população embarcada

Redação
Foto: assessoria Royal Caribbean
Foto: assessoria Royal Caribbean

 

A Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil) rebateu em nota a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de suspender a temporada 2021/22. Segundo a entidade que representa as empresas do setor, os 300 identificados desde novembro do ano passado são 0,2% dos 130 mil passageiros e tripulantes embarcados no período.

A Anvisa fez a recomendação após diagnósticos positivos econtrados no Costa Diadema e no MSC Splendida. Também houve casos no MSC Preziosa. No posicionamento, a Clia Brasil afirma que = o setor segue rigorosos protocolos sanitários para evitar infecções, tais como o teste diário de mais de 10% da tripulação e dos passageiros.

A MSC Cruzeiros, operadora de cruzeiros responsável pelo navio MSC Splendida e pelo MSC Preziosa, informou à Anvisa na sexta-feira (31) que a operação da embarcação foi interrompida por conta de surto de Covid-19.Foram detectados 78 casos da doença — 51 tripulantes e 27 passageiros infectados –, além de 54 pessoas que tiveram contato com os contaminados pelo vírus.

A Costa Crociere anunciou paralisação do navio Costa Diadema para os embarques em Santos em 3 e 10 de janeiro e os embarques em Salvador em 6 e 13 de janeiro. Na capital baiana, 68 pessoas testaram positivo para a Covid-19 no Costa Diadema, sendo 56 da tripulação.A empresa alegou que se trata de uma “medida de responsabilidade e em acordo com a exigências das autoridades da Anvisa”. Fonte: CNN Brasil

 

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.