Publicado em 06/05/2016 às 08h00.

Braskem triplica lucro e cresce mais 100% no primeiro trimestre

Número é consequência do maior volume de exportações de resinas termoplásticas e da melhoria do desempenho das operações da empresa fora do Brasil

Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

A Braskem, principal petroquímica baiana e âncora da atividade no Polo Industrial de Camaçari, fechou o primeiro trimestre do ano com um crescimento de 106% no resultado operacional (Ebitda), ante o mesmo período de 2015, e atingiu o valor recorde para a companhia de R$ 3,1 bilhões.

A companhia foi beneficiada pelo impulso nas exportações, pelos “spreads” (diferença de preços em relação à matéria-prima) positivos de petroquímicos básicos e polipropileno nos Estados Unidos e pelo bom desempenho das operações nos Estados Unidos e Europa. A empresa obteve lucro líquido de R$ 747 milhões no primeiro trimestre, resultado mais que três vezes superior ao lucro de R$ 204 milhões obtido um ano antes.

De acordo com a Braskem, o número é consequência do maior volume de exportações de resinas termoplásticas, da melhoria do desempenho das operações nos Estados Unidos e Europa, do aumento da demanda no mercado norte-americano e de melhores margens de lucro dos produtos petroquímicos básicos no exterior – principalmente nos EUA. Tudo isso somado à desvalorização do real frente ao dólar.

Mercado interno em baixa – Se dependesse exclusivamente do mercado nacional, a indústria estaria em apuros, pois a demanda pelos produtos da Braskem caiu 18% em comparação aos três primeiros meses de 2016 e 2015. Segundo análise da empresa, o porcentual tende a diminuir até final do ano, com expectativa de redução de 7% em relação ao ano de 2015, que já registrou queda da demanda de 7%.

Conforme o novo presidente da companhia, Fernando Musa, a diminuição da demanda brasileira no primeiro trimestre do ano foi acentuada pela base de comparação, já que no primeiro trimestre de 2015 o mercado teve forte aquecimento, uma vez que os clientes anteciparam suas compras.

PUBLICIDADE