Publicado em 06/04/2016 às 18h00.

Fuga de recursos da poupança diminui pelo segundo mês seguido

Apesar do recuo, retiradas ainda superam os depósitos nesse tipo de investimento por causa da crise econômica

Agência Brasil
poupança saques
Foto ilustrativa

 

Pelo segundo mês seguido, a fuga de recursos da caderneta de poupança diminuiu. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (6) pelo Banco Central (BC), as retiradas superaram os depósitos em R$ 5,38 bilhões em março, quando os brasileiros pouparam R$ 164,397 bilhões, mas sacaram R$ 169,777 bilhões da caderneta.

Apesar da diminuição dos recursos aplicados na poupança, os saques tiveram queda em março. A retirada líquida tinha ficado em R$ 12,032 bilhões em janeiro e R$ 6,639 bilhões em fevereiro.

As retiradas também diminuíram em relação ao mesmo mês do ano passado. Em março de 2015, a caderneta tinha registrado saques líquidos de R$ 11,438 bilhões. No acumulado de 2016, no entanto, os brasileiros retiraram mais recursos da poupança. De janeiro a março, a retirada somou R$ 24,05 bilhões, contra R$ 23,231 bilhões no mesmo período do ano passado.

Desde janeiro de 2015, a caderneta de poupança registra retirada de recursos, provocada pelo aumento de juros, que tornam mais atrativas aplicações em fundo de investimento, e pela perda de rentabilidade diante da inflação. Nos últimos 12 meses, a caderneta rendeu 8,29%, contra inflação oficial de 11,08% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Segundo o BC, a recessão econômica também contribui para a fuga de recursos da poupança. Por causa da crise e do desemprego, os brasileiros têm menos sobra de dinheiro para aplicar na caderneta e precisam sacar mais recursos para pagar dívidas.

Temas: juros , poupança , saque