Publicado em 10/09/2019 às 16h20.

Governo apresenta possíveis alíquotas de novo imposto sobre pagamentos

Pela proposta em estudo, cada saque ou depósito em dinheiro deverá ser taxado com uma alíquota inicial de 0,4% e cada operação de débito ou crédito deve ser submetida a uma alíquota de 0,2%

Redação
Foto: Divulgação/ACSP
Foto: Divulgação/ACSP

 

As alíquotas de um novo imposto sobre pagamentos, que tem sido comparado à antiga Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF), foram apresentadas nesta terça-feira (10) pelo secretário-adjunto da Receita Federal, Marcelo de Sousa Silva, durante o Fórum Nacional Tributário, organizado pelo Sindifisco Nacional.

Pela proposta em estudo, cada saque ou depósito em dinheiro deverá ser taxado com uma alíquota inicial de 0,4% e cada operação de débito ou crédito deve ser submetida a uma alíquota de 0,2%, segundo o G1.

A equipe econômica pretende que o novo tributo substitua gradativamente a contribuição patronal sobre salários (folha de pagamentos), a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Na avaliação do governo, a atual tributação a folha de pagamentos (patrão e empregado juntos), que soma 43,5%, é “muito acima” de outros países da região, como México (19,7%) e Chile (7%), o que acarreta em um “desestímulo à contratação de mão de obra”.

PUBLICIDADE