Publicado em 20/11/2020 às 16h59.

Governo reduz para R$ 844,5 bilhões a projeção para déficit primário de 2020

Em setembro, o valor estimado era R$ 861 bilhões; já no final de outubro, a previsão do déficit fiscal estava em R$ 880,5 bilhões

Redação
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

O governo federal atualizou para R$ 844,5 bilhões o déficit primário deste ano. O valor consta no relatório de receitas e despesas do Orçamento, divulgado nesta sexta-feira (20) pelo Ministério da Economia. O novo cálculo projeta ainda retração de 4,5% no Produto Interno Bruto (PIB).

De acordo com informações do G1, o indicador tem variado há cerca de dois meses. Em setembro, o valor estimado era R$ 861 bilhões. Já no final de outubro, a previsão do déficit fiscal estava em R$ 880,5 bilhões.

A pasta comandada por Paulo Guedes informou que a queda no déficit previsto é resultado do aumento de receitas, em relação ao previsto em setembro, e à redução dos gastos estimados para 2020. Quanto às despesas, o Ministério da Economia destacou queda de R$ 11,749 bilhões neste ano, sendo R$ 9,441 bilhões relativos a gastos discricionários, aqueles não obrigatórios. Segundo o governo, houve redução do pagamento do Bolsa Família devido à adesão aos auxílio emergencial.

Também houve queda de R$ 2,098 bilhões em subsídios devido a “compromissos” envolvendo, entre outros, o Programa de Financiamento às Exportações (Proex) e o Plano Safra. Redução ainda em R$ 1,789 bilhão na previsão de gastos com benefícios previdenciários.

Quanto às receitas, o governo estimou aumento de R$ 9,868 bilhões na arrecadação de impostos e contribuições federais, considerando R$ 10,164 bilhões a mais nas receitas do Imposto de Renda. Houve ainda aumento em R$ 4,302 bilhões na estimativa para arrecadação previdenciária em 2020.

O déficit primário ocorre quando as despesas do governo superam as receitas com impostos e contribuições. Se for o contrário, há superávit. A conta do déficit primário não leva em consideração gastos do governo com pagamento dos juros da dívida pública.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.