Publicado em 17/11/2016 às 13h20.

Mercado de trabalho: inserção da população negra permanece estável na RMS

Ainda assim, permanece a histórica sobrerrepresentação dos negros no contingente de desempregados, destaca estudo

Redação
Foto: Vaner Casaes / AGECOM
Foto: Vaner Casaes / AGECOM

 

A inserção da população negra no mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador (RMS) ficou estável, ao passar de 92,4% para 92,3%, entre os anos de 2014 e 2015. O aumento da participação dos negros no mercado de trabalho estava crescente há 15 anos consecutivos, mas foi interrompido pela crise econômica.

Os dados são da Pesquisa de Emprego e Desemprego da RMS (PED-RMS) e revelam ainda que essa parcela da população também conseguiu manter estável a sua representação no contingente de ocupados em 92,0%, enquanto reduziu sua presença entre os desempregados, de 94,2% para 93,6%. Ainda assim, permanece a histórica sobrerrepresentação dos negros no contingente de  desempregados, ressalta o estudo realizado em parceria entre a SEI/Seplan e o Dieese.

Recorte de gênero –  No caso das mulheres negras, os indicadores apontam impacto menos intenso devido à diminuição da força de trabalho feminina no mercado de trabalho e aumento da jornada média, que permitiu um pequeno ganho no rendimento médio desse segmento.

Em termos absolutos e considerando o gênero, o destaque principal foi o aumento de 18 mil homens negros ao contingente de desempregados, enquanto o de mulheres negras ficou praticamente estável (-1 mil). O número de homens não negros em desemprego teve pequeno aumento (2 mil pessoas) e o de mulheres não negras também ficou praticamente estável (1 mil).

PUBLICIDADE