Publicado em 30/04/2020 às 17h25.

Na Bahia, confiança do empresário do comércio cai 8,1% em abril

Até a pandemia do novo coronavírus, indicador medido pela Fecomércio-BA mantinha oito meses de alta consecutivas

Redação
Foto: Divulgação/ Texto & Cia
Foto: Divulgação/ Texto & Cia

 

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) caiu 8,1% em abril. Para a Federação do Comércio de Bens, Serviços de Turismo da Bahia (Fecomércio-BA), o recuo forte já é um reflexo da pandemia do novo coronavírus. O indicador mantinha oito meses de alta consecutivas. Foi a maior redução em seis anos.

O recuo maior foi no sub-índice que avalia as condições atuais da economia e do empresário do comércio. O Icaec teve redução de 8,7%, levando novamente ao patamar pessimista, com 97 pontos. Neste indicador, acima de 100 pontos representa otimismo. O consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze, avalia que embora o Icec esteja no mesmo patamar do ano anterior, a quebra da sequência positiva representa um novo ciclo de baixa para os próximos meses.

“A situação é delicada e complexa. Não havendo um horizonte claro, o empresário tem que tomar cuidado com os seus custos como aluguel, empréstimos, fornecedores, etc. O momento é de renegociação para reduzir os custos e ganhar um fôlego para sobreviver a crise”, declara o consultor econômico da Fecomércio-BA.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.