Publicado em 29/04/2020 às 16h30.

Pandemia eleva dívida de empresas em R$ 900 bi, informa Banco Central

Relatório de Estabilidade Financeira aponta necessidade de provisões dos bancos de R$ 359 bi para fazer frente a quebra de empresas

Redação
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

 

A dívida total das empresas mais afetadas pela pandemia de covid-19 no Brasil soma R$ 900 bilhões. Desse total, R$ 556 bilhões são débitos com o sistema financeiro nacional, informou nesta quarta-feira (29) o diretor de Fiscalização do Banco Central (BC), Paulo Souza, em entrevista coletiva transmitida pela internet para apresentar o Relatório de Estabilidade Financeira.

De acordo com Paulo Souza, os setores mais afetados são comércio, serviços, transporte, indústria de transformação, eletricidade e gás. O BC fez uma simulação com 1,6 milhão de empresas e 9,9 milhões.O resultado, chamado de teste de estresse, mostra que seria necessário aumento de R$ 395 bilhões em provisão (reservas para casos de perdas) dos bancos, devido à quebra das empresas.

“Devido ao volume de provisões que seriam necessárias, a capacidade de o sistema gerar novos créditos e sustentar o crescimento da economia ficaria temporariamente comprometida”, informa o relatório.Segundo o diretor de fiscalização, isso aconteceria se o impacto for mais severo, a depender da duração da pandemia.

Paulo Souza ressaltou que, com esse cenário, para o sistema financeiro voltar a se enquadrar no nível regulatório mínimo seriam necessários R$ 70 bilhões, o que corresponde a 7,2% do patrimônio de referência (PR) do Sistema Financeiro Nacional. Segundo o relatório, considerando a rentabilidade em períodos de crises anteriores, seriam necessários três anos para o sistema recompor sua atual capacidade. Fonte: Agência Brasil

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.