Publicado em 03/11/2020 às 16h52.

Para Banco Central, pressão inflacionária é temporária

Previsão consta da ata do Copom divulgada nesta terça; para mercado, IPCA deste ano será maior do que 3%

Redação
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

 

Para o Banco Central, a elevação de preços nos últimos meses é temporária, gerada por “redução provisória na oferta” junto com um “aumento ocasional na demanda”. A avaliação foi feita na ata do Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, divulgada nesta terça-feira (3).

“Dessa forma, apesar de a pressão inflacionária ter sido mais forte que a esperada, o Comitê mantém o diagnóstico de que esse choque é temporário, mas monitora sua evolução com atenção”, afirmou os diretores do Banco Central, na ata. Na semana passada, o comitê manteve os juros básicos (Selic) em 2% ao ano.

Focus

Enquanto o Banco Central vê o aumento dos preços como temporários, os analistas do mercado seguem elevando as estimativas para o IPCA este ano. De acordo com o Focus desta terça-feira (3), os economistas das instituições financeiras projetam um aumento da inflação no ano em 3,02%.

Há sete meses, os analistas não estimavam o IPCA acima de 3%. Embora editado pelo Banco Central, o Focus publica o levantamento das previsões de quem atua no mercado. Com informações do G1.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.