Publicado em 20/11/2020 às 20h20.

Paulo Guedes sugere taxação sobre operações do PIX

Em videoconferência, ministro falou em "taxar um pouco" a operação, que tem como características agilidade e gratuidade

Redação
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

O ministro Paulo Guedes (Economia) defendeu a taxação de operações realizadas pelo PIX, novos sistema de pagamentos do Banco Central. Em videoconferência realizada pelo Bradesco na quinta-feira (19), o auxiliar de Jair Bolsonaro falou em “taxar um pouco” a operação, que tem como características agilidade e gratuidade.

De acordo com informações do BP Money, o ministro afirmou ainda que deverá retomar a proposta de criação de um novo imposto sobre transações digitais após as eleições. A alíquota deve ficar entre 0,10% e 0,15%, segundo Guedes. No entanto, estudos iniciais do Ministério da Economia sugeriam taxa de 0,20% para a nova taxa.

Guedes voltou a dizer que o imposto nos moldes da antiga CPMF é necessário para permitir a desoneração da folha de pagamentos das empresas. A proposta, no entanto, encontra resistência no Congresso e no setor financeiro.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.