Publicado em 21/11/2019 às 19h40.

Petrobras arrenda Fafens Bahia e Sergipe por dez anos

Além das fábricas, o arrendamento inclui os terminais marítimos de amônia e ureia no Porto de Aratu, na Bahia

Redação
Foto: Ascom/ Sindipetro
Foto: Ascom/ Sindipetro

 

A Petrobras assinou nesta quinta-feira (21) o arrendamento das fábricas de fertilizantes nitrogenados da Bahia (Fafen-BA) e de Sergipe (Fafen-SE) para a empresa Proquigel Química S.A, que terá o controle das unidades por um período de dez anos, renováveis por mais dez.

Além das fábricas, o arrendamento inclui os terminais marítimos de amônia e ureia no Porto de Aratu, na Bahia. O negócio envolve R$ 177 milhões e seguiu as etapas previstas na Lei Federal 13.303/2016 (Lei das Estatais) e no Regulamento de Licitações e Contratos da Petrobras.

Segundo a diretora de Refino e Gás Natural da Petrobras, Anelise Lara, o arrendamento das unidades vai permitir que as fábricas de fertilizantes, que estavam hibernadas, voltem a operar, gerando novos empregos e atraindo investimentos para os estados da Bahia e de Sergipe.

“Nosso planejamento estratégico concentra investimentos na produção de óleo e gás no Brasil. Ao focarmos nas atividades principais da empresa, estamos também abrindo espaço para que novas empresas surjam e comecem a investir em novos segmentos. Isso trará benefícios tanto para Bahia, quanto para Sergipe, pois abre novas perspectivas para as economias locais. A expectativa é que todos os envolvidos ganhem com o negócio”, disse.

Segundo a Petrobras, o arrendamento foi uma alternativa para a continuidade da operação das duas unidades, que se encontram hibernadas. A estatal diz que buscou “alternativas e estudou as melhores condições econômicas e de custos para a transferência das instalações ao futuro operador das fábricas”.

PUBLICIDADE