Publicado em 15/03/2019 às 21h20.

Presidente da Petrobras defende privatização da estatal e fim do BNDES

Para Paulo Guedes, que estava presente, 'no final, tem que privatizar tudo'

Redação
Foto: Reuters
Foto: Reuters

 

Integrantes da equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro voltaram a defender nesta sexta-feira (15) a privatização de grandes empresas estatais, a exemplo da Petrobras e Banco do Brasil.

Mesmo o presidente se mostrando contra a privatização das empresas citadas, a conversa ocorreu durante evento sobre liberalismo econômico.

Em sua palestra, na qual disse que privatizações e venda de ativos são uma das prioridades da gestão, o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a dizer que “no final, vai a (privatização da) Petrobras também, vai o Banco do Brasil”. “Tem que ir tudo”, defendeu.

“Como liberais, somos contrários a empresas estatais. Com exceção do Banco Central, bancos públicos deveriam ser privatizados e o BNDES extinto. A Petrobras também deveria ser privatizada”, disse o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para depois citar refrão dos Rolling Stones que diz “nem sempre se pode ter tudo”.

Também presente, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes defendeu a privatização dos dois maiores bancos estatais, o BB e a Caixa, argumentando que as instituições seriam mais eficientes com gestão privada.

PUBLICIDADE