Publicado em 28/04/2020 às 13h36.

Prévia inflacionária registra leve variação negativa de preços em abril

IPCA-15 deste fechou este mês em - 0,01%, segundo o IBGE; combustíveis deram a contribuição mais decisiva para o recuo

Redação
Foto: Geraldo Falcão/Agência Petrobras
Foto: Geraldo Falcão/Agência Petrobras

 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de -0,01% em abril. Divulgada nesta terça-feira (28), a prévia inflacionária do IBGE ficou 0,03 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de março (0,02%). Em abril de 2019, o IPCA-15 ficou em 0,72%. Seis dos nove grupos pesquisados tiveram deflação em abril.

“Transportes (-1,47%) foi o grupo com a contribuição negativa mais intensa (-0,30 p.p.) para o índice de abril, assim como aconteceu em março, quando esse grupo já havia apresentado queda (-0,80%). Outros cinco grupos também tiveram deflação em abril, com destaque para os Artigos de residência (-3,19%), que contribuíram com -0,12 p.p no índice do mês”, informou o IBGE, em nota.

No lado das variações para cima, o grupo Alimentação e bebidas (2,46%) acelerou em relação a março (0,35%) e teve o maior impacto (0,48 p.p.) sobre o IPCA-15 de abril. Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,32% em Saúde e cuidados pessoais e a alta de 0,12% em Habitação.

Ainda segundo o instituto, o recuo nos preços em Transportes deve-se principalmente aos combustíveis (-5,76%). A gasolina (-5,41%), o etanol (-9,08%) e o óleo diesel (-4,65%) contribuíram, juntos, com -0,35 p.p. de impacto no IPCA-15 de abril. Cortes anunciados pela Petrobras influenciaram na movimentação dos preços. Somente em 28 de março foi anunciada uma redução de 5% nas bombas.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.