Publicado em 14/02/2020 às 17h10.

Taxa de desocupação aumenta e permanece segunda maior do país

Dados divulgados nesta sexta (14) pelo IBGE mostram aumento da taxa também em Salvador e Região Metropolitana

Redação
Elói Corrêa/GOVBA
Elói Corrêa/GOVBA

 

A taxa de desocupação registrada na Bahia ficou em 17,2% em 2019. O percentual representa um leve aumento em comparação ao ano anterior, quando ficou em 17%. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado é o maior da série PNAD Contínua, do IBGE, iniciada em 2012. Pelo segundo ano consecutivo, o estado figura entre aqueles com maior taxa de desocupação, ficando atrás apenas do Amapá (17,4%). O percentual é bem maior do que a média nacional, 11,9%, e mais que o dobro da taxa de Santa Catarina, estado com menor desocupação no país (6,1%).

O número de pessoas procurando emprego na Bahia cresceu 2,3%, resultado do aumento da procura por trabalho mais expressivo do que o aumento no número de pessoas trabalhando. Houve também aumento no número de pessoas trabalhando, mas o 0,8% registrado não foi suficiente para fazer recuar a taxa de desocupação.

Já a capital baiana teve taxa de desocupação média de 16% em 2019, quase a mesma que aquela registrada no ano anterior (16,1%). O resultado coloca a capital em posições de destaque no ranking do desemprego, sendo a terceira maior entre as capitais. Salvador fica atrás apenas de Manaus/AM (17,8%) e Macapá/AP (17,3%). O percentual é igual ao verificado em São Luís/MA (16%).

A Região Metropolitana de Salvador fechou o ano com taxa de desocupação média de 17,6%, abaixo da média registrada em 2018 (18,8%). O percentual é o menor também desde 2015, quando foi registrada taxa de desocupação de 15,8%. Apesar do desempenho local, a RMS continua a segunda no ranking entre as regiões metropolitanas pesquisadas, ficando atrás apenas da RM Macapá/AP (18,2%).

PUBLICIDADE