Publicado em 10/10/2019 às 18h00.

Vendas no comércio varejista baiano ficaram estáveis em agosto

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (10) pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do IBGE

Redação
Foto: Reprodução/Fotos Públicas
Foto: Reprodução/Fotos Públicas

 

As vendas no comércio varejista baiano ficaram estáveis em agosto deste ano, na comparação com igual mês em 2018. No varejo nacional, a expansão no volume de negócios foi de 1,3%, em relação à mesma base de comparação. Na análise sazonal, o comércio varejista no estado baiano registrou taxa negativa de 1,0%.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (10) pela Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizada em âmbito nacional e analisados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento.

Por atividade, os dados do comércio varejista do estado em agosto de 2019, quando comparados aos de agosto de 2018, revelam que apenas dois dos oito segmentos que compõem o indicador do volume de vendas registraram comportamento positivo.

Listados pelo grau de magnitude das taxas em ordem decrescente, destacaram-se combustíveis e lubrificantes (12,5%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,5%).

Nos demais segmentos, as variações foram negativas: tecidos, vestuário e calçados (-0,2%), hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,8%), móveis e eletrodomésticos (-2,1%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-3,3%), equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-8,8%) e livros, jornais, revistas e papelaria (-42,1%).

No que diz respeito aos subgrupos, verifica-se que registraram variações negativas, eletrodomésticos (-1,4%), hipermercados e supermercados (-1,7%), e móveis (-3,7%).