Publicado em 27/06/2022 às 11h00.

Leo Dias pede perdão a Klara Castanho: ‘Reconheço que não tenho noção da dor dela’

‘Eu não deveria ter escrito nenhuma linha sobre esta história ou ter feito qualquer comentário sobre algo que não tenho o direito de opinar’, disse o colunista

Jamile Amine
Foto: Arquivo Pessoal/Instagram
Foto: Arquivo Pessoal/Instagram

 

Após tornar pública a gravidez da atriz Klara Castanho e a entrega para adoção do bebê – caso que revelou se tratar de uma gestação fruto de estupro -, o colunista Leo Dias publicou um texto no qual reconhece o erro e tenta se retratar.

Em sua coluna no portal Metrópoles, ele contou que foi procurado por uma funcionária de um hospital privado há pouco mais de um mês, que “insistiu” para “denunciar um caso atípico que ocorrera há algumas horas naquela casa de saúde”.

“A moça, sob a condição de anonimato, me disse que, pela primeira vez, o nascimento de uma criança não poderia ser registrado na maternidade. Nenhum dado sobre o nascimento poderia ser incluído no sistema”, relatou Leo Dias, que disse ter ficado surpreso ao saber que a mulher que deu à luz ao bebê era Klara Castanho.

“Até aquele momento, eu não tinha noção do contexto de violência envolvendo a gestação”, afirmou o colunista, que disse ter pouco contato com a atriz. “Àquela altura, eu não tinha noção de todos os fatos. Não sabia que ela havia sido vítima de um estupro. Klara me respondeu poucas horas depois. Chegamos a conversar por telefone”, lembrou.

“Na conversa, Klara me relatou a violência de que foi vítima. E sua decisão de entregar a criança para a adoção. Me pediu que eu não escrevesse sobre o assunto. E eu, prontamente, me comprometi com ela a não expor a história publicamente”, disse ele, admitindo ter tido conhecimento do caso de estupro pela própria vítima. Ele disse também que diante do impacto da história “perturbadora” se ofereceu para adotar a criança, e como o caso não saiu de sua cabeça acabou confidenciando a duas pessoas próximas. Uma delas é Antonia Fontenelle, que em uma live fez duras críticas e acusou a artista de abandono de incapaz.

Em sua defesa, Leo Dias afirmou  que não havia levado o caso a público, até que em maio foi “surpreendido com vídeos e posts em que influenciadores relataram o caso ou parte dele”. Segundo o colunista, “mesmo tendo sido provocado a falar sobre o caso” ele evitou revelar a identidade da atriz, como prometido.

Para se justificar, ele alegou ainda que a postagem na qual relata o nascimento do bebê e a adoção ocorreu após a carta aberta de Klara Castanho, onde ela conta que foi vítima de estupro e que uma enfermeira ameaçou divulgar a história do parto e da adoção.

“Ela foi covardemente exposta. Tenho consciência disso”, admitiu Leo Dias. “Errei ao publicar qualquer linha a este respeito. Mesmo que a revelação da história não tenha partido de mim, mesmo que Klara tenha escrito uma carta pública narrando a dor que sentiu com toda esta violência e que eu só tenha escrito sobre o assunto após a carta dela ser publicada”, disse o colunista.

“Mesmo que eu soubesse de tudo desde o início, eu não deveria ter escrito nenhuma linha sobre esta história ou ter feito qualquer comentário sobre algo que não tenho o direito de opinar. Apesar da minha proximidade com o fato, reconheço que não tenho noção da dor desta mulher. E, por isso, peço, sinceramente, perdão à Klara”, concluiu.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.