Publicado em 29/01/2020 às 09h09.

Ludmilla é acusada de promover turismo sexual ao fazer festa para rapper norte-americano

Segundo a artista, os internautas estavam subjugando as mulheres que participaram do evento

Redação
Foto: Instagram/ Arquivo Pessoal
Foto: Instagram/ Arquivo Pessoal

 

A cantora Ludmilla se envolveu em uma grande polêmica nas redes sociais ao fazer uma festa para o rapper norte-americano Tyga, que passa alguns dias no Brasil.

A funkeira foi acusada de promover o turismo sexual, após vídeos do “fervo”, cair na web e mostrar mulheres dançando de biquíni, segundo os internautas, se insinuando para o artista.


Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Ludmilla (@ludmilla) em

Chateada com as acusações, Ludmilla foi direta em seu desabafo e xingou ao comentar a situação. “A gente não costuma deixar entrar celular mesmo para a gente se sentir à vontade, ficar em casa, e se divertir e se jogar. Estou vendo um bando de gente chocada falando ‘gente, objeto e não sei o que lá’… Objeto é o seu c*, tu viu alguém sendo objeto de alguém?”, disse.

Segundo a artista, os internautas estavam subjugando as mulheres que participaram do evento, afirmando que dançar de biquíni é algo comum até fora do Brasil.

Lud contou que nenhuma mulher foi forçada a aparecer na gravação feita por Tyga e que todas elas são donas do próprio nariz.

“Vai ficar de roupa por quê? Está com o corpo em dia. Eu, hein?! Aí, o cara [Tyga] veio, começou a gravar e as meninas quiseram aparecer no Instagram do cara, rebolaram e dançaram. Em qualquer lugar do mundo as meninas dançam de calcinha e de biquíni e está tudo bem. Aqui no Brasil, vocês querem ficar xingando as ‘minas’. Parem de querer ficar subjugando”.

PUBLICIDADE