Publicado em 02/07/2020 às 12h30.

Preta Gil revela dar razão ao pai por crítica a nudez em álbum: ‘Sociedade machista’

O disco em questão foi o primeiro trabalho de Preta como cantora, o "Prêt-a Porter", em 2003

Redação
Foto: Instagram/ Arquivo Pessoal
Foto: Instagram/ Arquivo Pessoal

 

A cantora Preta Gil falou pela primeira vez sobre um conflito que teve com o pai, Gilberto Gil, no início da carreira com o lançamento do primeiro álbum.

Em uma live com a carioca Antonia Frering, a artista revelou que foi criticada duramente pelo pai ao posar nua para o encarte de seu primeiro disco, “Prêt-a Porter”, em 2003.

“Quando fiz meu primeiro álbum, me senti renascendo. Quando a gente estava fazendo as fotos, me achei careta. Eu, que sou filha de tropicalista e já vi tantas coisas incríveis, me vi fazendo umas poses caretas e achei que isso não tinha nada a ver com o disco. Propus: posso ficar pelada?”, contou.

Na época, Gil não concordou com o posicionamento dele, que achou desnecessária a exposição. “Ele disse, ‘desnecessário, Preta. Não vai ser bom, você vai desvirtuar, tirar a atenção da música para a história da capa'”.

A artista contou que só foi entender a reação de Gil após a repercussão das fotos na mídia. “Entendi por que ele falou aquilo. De fato, em uma sociedade machista, gordofóbica, homofóbica, racista que a gente vive, as pessoas viram aquela capa e disseram, ‘isso é nitroglicerina pura'”.