Publicado em 24/03/2020 às 13h48.

Ministro do STJ diz que restrição do coronavírus não freou venda de sentença no TJ-BA

Nesta terça-feira (24), a desembargadora Sandra Inês Rusciolelli foi presa na 5ª fase da Operação Faroeste

Redação
Foto: Divulgação/STJ
Foto: Divulgação/STJ

 

O ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), disse que as restrições para o combate ao coronavírus, como isolamento social, não impediram que o suposto esquema de venda de sentença no Tribunal de Justiça da Bahia continuasse.

A Polícia Federal monitorou entrega de dinheiro na semana passada que teria o objetivo de comprar o voto de uma desembargadora. As informações são do site O Antagonista. Nesta terça-feira (24), a desembargadora Sandra Inês Rusciolelli foi presa na 5ª fase da Operação Faroeste.

De acordo com o ministro, os suspeitos não se intimidaram nem mesmo com o avanço da PF para desbaratar a rede criminosa nos últimos meses.

“Chama a atenção o fato de ter a ação criminosa não ter se interrompido mesmo durante a pandemia de Coronavírus (COVID-19), quando há a recomendação de restringir-se a interação social. Tudo isso a corroborar a necessidade premente da aplicação das medidas cautelares pleiteadas no presente procedimento”, diz o ministro na decisão.

PUBLICIDADE