Publicado em 15/09/2019 às 07h33.

Se estivesse no poder, essa gente fecharia o Congresso, diz Gilmar Mendes sobre a Lava Jato

Ministro do STF também criticou possibilidade de abertura de CPI que investigue o Supremo

Redação
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) voltou a fazer duras críticas à força-tarefa da Operação Lava Jato.

Em entrevista para o site UOL, Gilmar disse enxergar autoritarismo nos procuradores e palpitou que eles fechariam o Congresso e o Supremo se estivessem no Executivo.

“Nós aprendemos, vendo esse submundo, o que é que eles faziam. Delações submetidas a contingência, ironizavam as pessoas, perseguiam os familiares para obter o resultado em relação ao verdadeiro investigado, tudo isso que nada tem a ver com o Estado de Direito. Vamos imaginar que essa gente estivesse no poder Executivo, o que que eles fariam? Certamente fechariam o Congresso, fechariam o Supremo.” , falou.

Questionado sobre a CPI da Lava Toga, que pode ser aberta no Senado, Gilmar a chamou de inconstitucional.

“É notório que uma CPI para investigar o Supremo ou investigar um dado ministro, pela jurisprudência tranquila e pela própria jurisprudência da Casa [o STF], ela é flagrantemente inconstitucional”, afirmou.

PUBLICIDADE