Publicado em 13/09/2019 às 12h18.

Educação: programa Pé na Escola em Salvador vira ‘case’ nacional

Para o secretário municipal da Educação, Bruno Barral, a publicação é o reconhecimento do pioneirismo da capital

Redação
Foto: Luiz Felipe Fernadez/bahia.ba
Foto: Luiz Felipe Fernadez/bahia.ba

 

O Pé na Escola, um programa criado em 2018 para ampliar a oferta de vagas no ensino infantil através de parceria com instituições privadas, tornou-se o “case” nacional “Parceria Público-Privada na educação: o exemplo de Salvador”.

Produzido pela Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), o estudo está publicado em e-book no site da entidade, contendo “a metodologia e as boas práticas da experiência de Salvador, com a proposta de inspirar e estimular outras localidades a adotarem ideias similares”.

O e-book mostra também depoimentos de gestores das escolas parceiras e de mães de crianças beneficiadas pelo programa.

“Pretende-se, com esta publicação, inspirar para transformar. E, para isso, vamos à Bahia. É lá que acontece o programa Pé na Escola, ação da Prefeitura de Salvador, realizada por meio da Secretaria Municipal da Educação (Smed). A iniciativa se destaca por cumprir um importante papel na sociedade baiana: o de fomentar a educação de qualidade para populações mais carentes e vulneráveis, a partir de um grande feito. De um lado, ampliando o acesso de crianças de até 5 anos à escola e, por outro, preenchendo vagas ociosas em escolas particulares”, diz o documento.

Para o secretário municipal da Educação, Bruno Barral, a publicação é o reconhecimento do pioneirismo de Salvador e da eficiência do programa Pé na Escola.

“Esse projeto, associado a outras iniciativas, tem colocado nossa cidade numa posição de destaque em relação à universalização da pré-escola. É uma conquista que dá muito orgulho, porque nossas crianças estão matriculadas, estudando, alimentando-se com qualidade nas escolas”, disse Barral.

PUBLICIDADE