Publicado em 24/05/2022 às 16h38.

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde é reeleito

Votação unânime foi formalidade já que Tedros era o único candidato

Redação
Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS | Foto: Reprodução / Facebook
Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS | Foto: Reprodução / Facebook

 

Os membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) reelegeram Tedros Adhanom Ghebreyesus como diretor-geral, por uma ampla maioria, para mais um mandato de cinco anos. A votação realizada com voto secreto durante uma grande reunião anual foi uma formalidade, uma vez que Tedros era o único candidato na disputa.

Tedros é um ex-ministro da saúde da Etiópia, que dirigiu a agência da ONU durante a pandemia de covid-19. Ele disse que o foco da OMS será na preparação para emergências e na melhoria da agência.

“Esta pandemia foi muito sem precedentes e trouxe muitas lições que devemos aprender e estamos aprendendo. Mas, ao mesmo tempo, não podemos apenas parar, aprender e implementar… em vez de fazer uma pausa para aprender, estamos dizendo enquanto aprendemos, vamos implementar.”

O recém-reeleito chefe da OMS chorou ao falar sobre a atual crise na Ucrânia e a morte de seu irmão mais novo por uma doença infantil em meio à guerra e à pobreza décadas atrás.

“Quando visitei a Ucrânia, vi especialmente as crianças. Foi a imagem de mais de 50 anos atrás que me veio à mente, tão visível, tão perseguidora. O cheiro, o som e a imagem da guerra. Não quero que aconteça com ninguém.”

Vários países, incluindo Alemanha e Estados Unidos, foram rápidos em dar os parabéns.

“Acabou de ser reeleito como diretor-geral da OMS: @DrTedros. 155/160 votos, resultado espetacular. Parabéns, plenamente merecido.”

A Alemanha ultrapassou recentemente os Estados Unidos como o principal doador da agência de saúde da ONU.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.