Publicado em 08/11/2019 às 22h20.

Líderes de esquerda de diferentes países comemoram liberdade de Lula

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice Cristina Kirchner, foram algumas das personalidades que celebraram a soltura do brasileiro

Rayllanna Lima
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

 

Líderes internacionais de esquerda comemoraram nesta sexta-feira (8) a soltura do ex-presidente Lula (PT), que estava preso na sede da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 7 de abril de 2018.

Presidente eleito na Argentina, Alberto Fernández foi o primeiro a celebrar pelas redes sociais. Em seu perfil no Twitter, ele comemorou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na quinta (7), que vetou a prisão após condenação em segunda instância.

Para ele, a prisão do ex-presidente foi “arbitrária” e que Lula enfrenta “perseguição”. “Sua força demonstra não só o compromisso mas também a imensidão desse homem”, disse o peronista, que chegou a pedir a liberdade do brasileiro no dia da eleição presidencial argentina, em 27 de outubro.

Ex-presidente argentina, eleita vice-presidente na chapa de Fernández, Cristina Kirchner também comemorou. “Termina hoje uma das maiores aberrações de Lawfare na América Latina: a privação ilegítima da liberdade do ex-presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva”, tuitou Kirchner.

Outra personalidade a celebrar foi o pré-candidato a presidente dos Estados Unidos pelo Democrata, o senador Bernie Sanders. “Lula fez mais que qualquer um para reduzir a pobreza no Brasil e defender os trabalhadores. Eu estou encantado que ele tenha saído da prisão, já que nunca deveria ter acontecido em primeiro lugar”, afirmou.

Pelo Twitter, o Ministério das Relações Exteriores da Venezuela disse que Nicolás Maduro “celebra a liberação” de Lula. “Em nome do povo da Venezuela, expresso minha mais profunda alegria pela liberação de meu irmão e amigo Lula, que estará novamente nas ruas para liderar as causas justas dos brasileiros e brasileiras”, escreveu Maduro em sua conta oficial.

Ex-presidente do Paraguai, Fernando Lugo, que sofreu impeachment em 2012, também comentou a soltura de Lula. “Um julgamento político vergonhoso e 580 dias na prisão não puderam dobrar uma polegada de sua coragem e sua dignidade para continuar de pé ao lado de seu povo. O abraço de todos os povos latino-americanos para você e todos aqueles que lutam ao seu lado”, escreveu.

O petista foi preso no âmbito da Operação Lava Jato, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Ele havia sido condenado em segunda instância, medida vetada pelo STF.

 

PUBLICIDADE