Publicado em 26/11/2015 às 12h05.

Número 2 da Venezuela repreende presidente eleito da Argentina

Reuters
Diosdado Cabello, chefe da Assembleia Nacional da Venezuela e vice-presidente do Partido Socialista, durante encontro em Caracas. (FOTO: REUTERS)
Diosdado Cabello, chefe da Assembleia Nacional da Venezuela e vice-presidente do Partido Socialista, durante encontro em Caracas. (FOTO: REUTERS)

A segunda autoridade mais poderosa da Venezuela repreendeu, nesta quarta-feira (25), o presidente eleito da Argentina, Mauricio Macri, por “ofender” uma nação irmã ao pedir a suspensão venezuelana do Mercosul por acusações de violações de direitos.

A vitória do conservador Macri no domingo (22) foi um desapontamento para os socialistas que governam a Venezuela. Macri usou sua primeira entrevista coletiva a jornalistas após o resultado para reiterar sua posição defendendo que o governo do presidente Nicolás Maduro deveria ser suspenso do Mercosul.

“O sr. Macri ganhou as eleições, e ele de repente pensou que ganhou as eleições naVenezuela“, satirizou Diosdado Cabello, chefe da Assembleia Nacional da Venezuela e vice-presidente do Partido Socialista, em seu programa de TV semanal.

“É triste, não é? Alguém ganha uma eleição e a primeira coisa que ele faz é tentar machucar um povo irmão… Deixe o povo venezuelano em paz, não mexa conosco… Você tem muito trabalho na Argentina para se perturbar com problemas venezuelanos”, acrescentou.

Macri disse que a Venezuela deveria ser suspensa do bloco por acusações de abusos de direito, incluindo a prisão de oponentes políticos.

PUBLICIDADE

Notícias relacionadas