Publicado em 13/01/2016 às 17h40.

Rússia desenvolve medicamento contra o vírus ebola

De acordo com o presidente russo, Vladimir Putin, testes preliminares revelaram eficácia superior à de substâncias anteriormente desenvolvidas pela indústria farmacêuitica

Agência Brasil
Vladimir Putin - ebola
Putin: ‘Medicamento revelou uma grande eficácia’ (Foto: Fotos Públicas)

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou nesta quarta-feira (13) que Moscou obteve registro da patente de um medicamento contra o vírus ebola, cujos testes preliminares revelaram eficácia superior à de fármacos anteriormente desenvolvidos.

“Temos uma boa notícia. Registramos a patente de um medicamento contra o ebola, que revelou, nos testes correspondentes, uma grande eficácia, superior aos compostos usados neste momento a nível mundial”, disse Putin, durante uma reunião com os membros do governo russo.

Em julho de 2015, a comunidade médica internacional, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciou que uma vacina tinha superado os primeiros ensaios clínicos e que reunia as condições necessárias para ser administrada a pessoas em risco de infeção com o vírus ebola.

A vacina não conta com autorização para ser aplicada nas pessoas. Só pode ser usada em ensaios clínicos ou casos específicos.

No entanto, a OMS trabalha em parceria com as farmacêuticas responsáveis pelo composto e as entidades reguladoras para assegurar o uso da vacina em eventuais novos surtos da doença.

A epidemia de ebola na África Ocidental, que afetou sobretudo a Guiné-Conacri, a Serra Leoa e a Libéria, foi controlada no ano passado. Ainda surgem casos residuais em alguns dos países afetados, que esperam superar este ano a emergência sanitária.

O recente surto de ebola foi o mais grave e prolongado desde que o vírus foi descoberto, em 1976. Foram 28.601 casos, desde que surgiu em dezembro de 2013, dos quais um terço dos doentes (11.299) acabou por morrer.

Temas: ebola , medicamento , Putin