Publicado em 06/05/2021 às 18h20.

Câmara instaura CPI para investigar suposta distribuição irregular de alimentos

Segundo denúncia, produtos não teriam passado pelo almoxarifado da Prefeitura

Redação
Foto: divulgação/Câmara Municipal de Feira de Santana
Foto: divulgação/Câmara Municipal de Feira de Santana

 

A Câmara Municipal de Feira de Santana instaurou, nesta quinta-feira, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar supostas irregularidades na distribuição de cestas básicas com fins eleitoreiros e a venda de leite de programa de assistência social pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso). A Comissão tem o prazo de 120 dias para a elaboração do relatório final e conclusão do trabalho.

Conforme a resolução promulgada nesta quarta (5), a escolha dos integrantes se deu por indicação da Mesa Diretora, seguida da aprovação por maioria do plenário. A presidência ficará por conta do vereador Emerson Minho (DC), a relatoria será de Eremita Mota (PSDB) e Silvio Dias (PT) como Membro. Além dos titulares, foram escolhidos os vereadores Paulão do Caldeirão (PSC) e Luiz da Feira (PROS) como suplentes.
Inicialmente trazidas pelo vereador Paulão do Caldeirão (PSC), as acusações sobre supostas irregularidades motivaram os parlamentares da Casa da Cidadania a instalar a CPI. No requerimento 111/2021, os autores destacam que o radialista possui fotos da distribuição de alimentos por membros da Sedeso, secretaria então administrada por Pablo Roberto – atual secretário Municipal de Agricultura. O documento também cita uma matéria veiculada pelo Jornal Folha do Estado em novembro de 2020, que traz a denúncia de que as cestas básicas não teriam passado pelo almoxarifado da Prefeitura, tampouco pelo Centro de Referência de Assistência Social.

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.