Publicado em 07/01/2020 às 16h54.

Justiça barra tentativa de formação de nova diretoria municipal do PDT

Presidente do partido na cidade, a prefeita Marlylda Barbuda ingressou com representação na Justiça Eleitoral

Rodrigo Aguiar
marlylda prefeita itaparica facebook
Foto: Facebook

 

O juiz Isaías Vinícius de Castro Simões, da 141ª Zona Eleitoral de Itaparica, deferiu liminar contra a realização de ato para empossar uma nova diretoria do PDT no município.

No Facebook, Luno Oliveira publicou convite para o evento, agendado para esta quinta-feira (7), no Club Social Alto de Santo Antônio, o que levou a prefeita de Itaparica, Marlylda Barbuda, a ingressar com a representação na Justiça Eleitoral.

Na decisão, o magistrado pontua que a documentação apresentada por Marlylda, presidente do diretório municipal do PDT, é suficiente para a sua tomada de decisão.

“Com efeito, conforme certidão anexada, existe diretório constituído e com vigência no período de 30.9.2019 a 30.9.2021, estando os membros ali indicados, inclusive a Representante que figura como “MEMBRO DO DIRETÓRIO MUNICIPAL / PRESIDENTE MUNICIPAL”, como pessoas autorizadas pelo Partido Político a lhe representar”, escreveu o juiz.

“Registro, por oportuno, que é necessário suspender o ato, para que não sejam realizados atos nulos, com prejuízo, em tese, a pessoas que estejam sendo convidadas sem conhecimento dessa controvérsia e, assim, assumir compromissos que podem ser inválidos”, acrescentou Simões.

Em entrevista ao bahia.ba, a prefeita relatou que foi “pega de surpresa” ao ver o convite e explicou que decidiu acionar a Justiça mesmo com o entendimento de que o ato convocado nas redes sociais “era nulo”.

Ela atribuiu a iniciativa a Zezinho, candidato derrotado por ela no pleito de 2016 e pai de Luno. “É um empresário que acha que pode fazer todo tipo de coisa, mas demonstrou falta de habilidade política”, disse Marlylda.