Publicado em 10/07/2020 às 18h46.

Justiça suspende afastamento de Dr. Pitágoras, um dia após decisão da Câmara

Prefeito é investigado pelo MPF por suspeita de superfaturar compra de respiradores em meio à pandemia do novo coronavírus

Redação
Foto: Mateus Soares/ bahia.ba
Foto: Mateus Soares/ bahia.ba

 

O prefeito de Candeias, Pitágoras Alves da Silva Ibiapina, conhecido como Dr. Pitágoras Ibiapina (PP), poderá voltar às suas funções públicas, após decisão da Vara de Candeias. O juiz Leonardo Bruno Rodrigues do Carmo concedeu liminar que suspende o processo instaurado pela Câmara de Vereadores da cidade.

Na quinta-feira (9), por 9 votos a 8, a Casa Legislativa decidiu pelo afastamento de Pitágoras, em caráter cautelar, por 90 dias. O prefeito é suspeito de superfaturar compra de respiradores em meio à pandemia do novo coronavírus.

A decisão do juiz suspende o processo que apura a prática de “infrações político-administrativas”, bem como o Decreto Legislativo 149/2020, que determinou o afastamento de Pitágoras. Com isso, o prefeito do PP está autorizado a retomar imediatamente seu mandato.

Investigação no MPF

Pitágoras é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF), que apura se houve sobrepreço na aquisição dos equipamentos. O município de Candeias teria desembolsando R$ 175 mil por cada um dos outo ventiladores pulmonares adquiridos.

Em nota divulgada na semana passada, a prefeitura informou que os respiradores foram adquiridos com base em um “avançado banco de dados”, chamado de “Banco de Preços”. A plataforma possui, segundo a prefeitura, a maior base de consulta disponível no mercado, com mais de 82 milhões de preços.

Mais notícias