Publicado em 05/07/2019 às 07h31.

MPF pede cassação do prefeito Dr. Pitágoras e da vice Maria Márcia Gomes

Eles são acusados de abuso de poder econômico e compra de votos

Matheus Morais
Foto: Reprodução/ Facebook
Foto: Reprodução/ Facebook

 

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia, pediu a cassação do prefeito de Candeias, Dr. Pitágoras (PP), e de sua vice, Maria Márcia Gomes (PSDB).

Eles são acusados de abuso de poder econômico, compra de apoio político de cabos eleitorais, presidentes de partidos e candidatos, em troca de dinheiro. Bem como, o uso indevido de meios de comunicação, ao veicular propagandas em desobediência às normas eleitorais (difamação da candidata adversária).

Segundo o Procurador Regional Eleitoral Auxiliar Samir Cabus Nachef Junior, a compra de votos está relacionada à doação de alimentos e distribuição ilegal de combustível.

O parecer aponta que o prefeito fez a captação “ilícita de votos, ao prestar gratuitamente serviços médicos (por meio de caravanas ou em seu próprio domicílio) e distribuir medicamentos para a população, desde meados de 2015 – quando se lançou pré-candidato a prefeito-, até depois do registro de sua candidatura”.

A Procuradoria Regional pede que Pitágoras e sua vice fiquem inelegíveis por 8 anos.

PUBLICIDADE