Publicado em 07/09/2022 às 19h44.

‘Processo de justiça que precisa ser efetivado’, diz MST sobre prisão de vereador

Vereador é suspeito de matar Márcio Matos,um dos integrantes do movimento que descobriu fraudes contratuais nas finanças do município

Leilane Teixeira
Foto: MST
Foto: MST

 

O Movimento Sem Terra (MST) se manifestou sobre a prisão de um vereador de Itaeté, suspeito de assassinar Márcio Matos, um dos integrantes do movimento. Em nota enviada ao bahia.ba, o MST informou que o Movimento Sem Terra vem cobrando dos órgãos responsáveis, desde o ocorrido, um posicionamento e celeridade nas investigações.

“Finalmente tivemos a notícia da identificação do assassino que interrompeu a vida do nosso companheiro Márcio Matos. A ação policial inicia um processo de justiça que precisa ser efetivado. Nossa missão de lutar por justiça, por terra e dignidade seguem firmes, a nossa luta vale a pena, e nós sempre honraremos aqueles e aquelas que morreram firmes no nosso propósito de construir uma sociedade mais justa. E assim honramos o legado Marcio Matos”.

Na da última terça (6), a Secretaria de Segurança Pública da Bahia durante a operação ‘Stone’, cumprida pelas equipes da Força-Tarefa de Combate a Grupos de Extermínio e Extorsão Mediante Sequestros, realizou operação na casa do vereador. Ele e outros homens são acusados de matar Márcio Matos, o crime aconteceu em 2018. Um deles foi detido por porte ilegal de armas e foi liberado após pagar fiança.

Segundo as investigações da SSP-BA, a motivação do crime teria sido a descoberta por parte de Marcio Matos de fraudes contratuais nas finanças do município após medidas de contenção de gastos.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.