Publicado em 22/03/2018 às 19h38.

ACM Neto silencia sobre movimento para isolar Lúcio

Nos bastidores circula a informação de que o prefeito condiciona sua candidatura ao governo do Estado à saída de Lúcio do MDB, devido à repercussão dos recentes escândalos que envolvem os Vieira Lima

Rodrigo Aguiar
Foto? Rodrigo Aguiar/bahia.ba
Foto: Rodrigo Aguiar/bahia.ba

 

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), afirmou nesta quinta-feira (22) que não se manifestará sobre o movimento para que o deputado federal Lúcio Vieira Lima deixe o MDB. A primeira declaração pública contrária ao “PMDB de Lúcio” em uma eventual coligação do democrata foi feita pelo deputado federal João Gualberto, presidente do PSDB baiano.

“Gostaria da compreensão de vocês para evitar esse tipo de comentário agora. Estamos na reta final de uma decisão. Existe toda uma articulação política e conversas com diversos partidos. É natural que cada presidente de partido manifeste as suas opiniões. Eu, particularmente, vou ficar em silêncio até o momento certo”, disse o prefeito, ao ser questionado sobre o assunto pelo bahia.ba.

Nos bastidores, circula a informação de que Neto condiciona sua candidatura ao governo do Estado à saída de Lúcio do MDB, devido à repercussão dos recentes escândalos que envolvem os Vieira Lima.

Neto também afirmou nesta quinta que só vai anunciar sua decisão sobre concorrer ou não a governador no dia 6 ou 7 de abril, ou seja, no prazo limite de desincompatibilização. A declaração ocorreu durante o lançamento do espetáculo “Paixão de Cristo”, no Palácio Thomé de Souza.

Presidente nacional do Democratas, o gestor negou ainda que tenha indicado Silvio Pinheiro para o Ministério da Educação ou que vá decidir quem ocupará o cargo, assim que Mendonça Filho (DEM) deixar o posto. Segundo Neto, no último encontro com o presidente Michel Temer, foram tratadas apenas questões “institucionais” e nada relativo às eleições