Publicado em 13/07/2020 às 12h50.

CPMI das Fake News quer acesso a contas banidas ligadas a Bolsonaro e ao PT

Presidente do colegiado, o senador Angelo Coronel formalizou pedido de informações ao Facebook e ao WhatsApp

Alexandre Santos
Senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPMI das Fake News No Congresso Foto: Agência Senado
Senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPMI das Fake News No Congresso
Foto: Agência Senado

 

O presidente da CMPI das Fake News no Congresso, (Angelo Coronel (PSD-BA), afirmou nesta segunda-feira (13) que protocolou um pedido para que Facebook preste informações sobre a remoção de contas ligadas ao gabinete do presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e aliados. Segundo a rede social, parte delas promovia propagação de ódio e ataques políticos.

Relator da proposta de combate à disseminação de notícias falsas, o parlamentar baiano também quer que o colegiado tenha acesso a contas ligadas ao PT que foram bloqueadas pelo WhatsApp, após o aplicativo receber denúncias de spam político.

“Esse é o papel da CPMI: investigar, independente de qual partido esteja sob essa investigação”, afirmou Coronel.

Na semana passada, o senador declarou que a decisão do Facebook corrobora um dos principais pontos do PL das Fake News. Aprovada no Senado no dia 30 de junho, a matéria tramita na Câmara dos Deputados.