Publicado em 29/07/2016 às 18h00.

Desenvolvimento Social demite 33 ocupantes de cargos comissionados

Ministro Osmar Torres se espelha nos colegas da Cultura, que demitiu 81 ocupantes de cargos de confiança, e da Saúde, que cortou 73 seguindo orientação do Planalto

Redação
Ministro Osmar Terra, do Desenvolvimento Social (Foto: Ivana Braga/bahia.ba)
Ministro Osmar Terra, do Desenvolvimento Social (Foto: Ivana Braga/bahia.ba)

 

Após os ministérios da Cultura e da Saúde do governo interino de Michel Temer (PMDB) terem promovido demissão em massa de ocupantes de cargos comissionados, chega a vez do ministro Osmar Torres, do Desenvolvimento Social passar a guilhotina: seguindo o exemplo dos colegas, exonerou nesta sexta-feira (29) 33 servidores de uma só vez. Muitos deles haviam sido nomeados por indicação do PT.

As demissões estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta e abrangem, em sua maioria, cargos de assessores técnicos e  coordenadores.

Na terça-feira ( 26), o Ministério da Cultura exonerou numa só canetada 81 ocupantes de cargos de confiança, direção, coordenação e da cúpula de algumas de suas instituições. A Cinemateca Brasileira (SP), por exemplo, teve cinco diretores exonerados.

Na quinta-feira (28), o Ministério da Saúde adotou a mesma medida, cortando titulares de 73 cargos comissionados, dentre os quais postos de assessoria técnica, gerentes de projetos e coordenadores de área.

Em todos os casos, a justificativa é de que as demissões seguem a orientação do Palácio do Planalto sobre redução de gastos. Ao assumir o governo, Michel Temer prometeu cortar 4,3 mil cargos em comissão, funções e gratificações e reservar outros 10.462 cargos comissionados de Direção e Assessoramento Superiores, os chamados DAS, exclusivamente para servidores públicos de carreira.