Publicado em 21/09/2020 às 16h16.

Em investigação contra pedofilia, governo federal pede suspensão de filme da Netflix

Na última semana, Damares Alves já havia admitido agir para proibir a exibição do longa no Brasil

Redação
(Foto: Divulgação/Netflix)
(Foto: Divulgação/Netflix)

 

O governo federal, por meio do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, pediu que o filme “Cuties” (“Lindinhas”, em português) produzido pela Netflix tenha a veiculação proibida no Brasil. Conforme a pasta, a produção tem “conteúdo pornográfico envolvendo crianças”. O pedido do Ministério foi enviado à coordenação da Comissão Permanente da Infância e Juventude (Copeij).

O filme foi produzido na França e é original do serviço de streaming. Apesar da classificação indicativa ser 16 anos, a protagonista do longa é uma personagem de 11 anos. De acordo com o secretário Maurício Cunha, a produção, que  mostra a jornada da personagem principal na busca pela liberdade, desenvolvimento da identidade sexual e conflitos com a tradição religiosa da família, tem conteúdo pornográfico.

“O filme apresenta pornografia infantil e múltiplas cenas com foco nas partes íntimas das meninas enquanto reproduzem movimentos eróticos durante a dança, se contorcem e simulam práticas sexuais”, afirmou em comunicado, completando que o roteiro “pode levar à normalização da hipersexualidade das crianças em produções artísticas”.

Na última semana, a ministra Damares Alves havia admitido agir para vetar o filme. No Twitter, ela afirmou que o governo estava estudando medidas serem tomadas. O deputado federal Eduardo Bolsonaro também teceu críticas ao longa.