Publicado em 26/03/2020 às 06h19.

Empresários aliados se afastam de Bolsonaro após pronunciamento sobre Covid-19

Isolamento vertical proposto pelo presidente não salva PIB, avalia o alto executivo

Redação
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

 

Empresários antes aliados acabaram se afastando do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), após pronunciamento sobre o novo coronavírus (Covid-19), quando foi sugerido que tudo volte a funcionar normalmente no Brasil e apenas idosos e pessoas com dificuldades respiratórias fiquem em isolamento social.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, um líder de uma grande multinacional avalia que o empresariado topou se aliar a um político de perfil radical para tirar o PT, mas, com a economia evaporada, ele vai perdendo seu valor.

A Lava Jato não está nas manchetes e o sonho da agenda liberal que seduziu as elites foi colocado de lado.

Ainda de acordo com a coluna, para um alto executivo, o isolamento vertical desejado pelo presidente, só para idosos e pessoas com doenças prévias, não salva o PIB nem poupa a população de adoecer.

Presidente do grupo Brasil 200, Gabriel Kanner, por exemplo, disse na quarta-feira (25) que Bolsonaro não conseguiu criar um clima de segurança para a população no pronunciamento de terça (24).

Ele destacou que a crise não pode ser menosprezada e que o país precisa de seriedade e responsabilidade dos líderes. “A gente precisa exigir do presidente uma postura de líder da nação. Ele não apresentou isso. Por mais que eu concorde com o direcionamento, de evitar um colapso econômico, a forma como ele se comunicou não passou segurança à população. Essa foi a maior falha do pronunciamento”, afirmou Kanner.

PUBLICIDADE