Publicado em 23/08/2019 às 22h00.

Justiça determina soltura de acusados de desviar mais de R$ 100 mi em porto de Santos

Liberdade foi concedida para os 21 presos na operação da Polícia Federal

Redação
Foto: Divulgação/Portal Governo Brasil
Foto: Divulgação/Portal Governo Brasil

 

Pelo menos 21 presos na operação Círculo Vicioso, deflagrada na última quinta-feira (22) pela Polícia Federal, serão soltos por decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3).

A PF investiga um suposto esquema de corrupção na Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo), que administra o Porto de Santos. Um total de R$ 100 milhões teria sido desviado pela empresa pública.

Mas, na análise do desembargador Nino Oliveira Toldo, a decisão judicial que autorizou a prisão de Adriano e dos outros suspeitos “mostra-se (…) ampla e genérica ante a ausência de individualização dos fatos concretos [crimes] em tese praticados”.

Ao acatar o pedido do advogado Roberto Delmanto, defensor de Adriano, o magistrado decidiu estender a liberdade aos demais presos. “As prisões foram ilegais porque não há fato novo contra os investigados”, diz Delmanto.

Entre os presos estavam também o ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara dos Vereadores do Guarujá (SP) Marcelo Squassoni (PRB-SP), suposto líder do esquema. Com informações da Folha de S. Paulo.

PUBLICIDADE