Publicado em 06/12/2016 às 15h02.

Justiça manda prender mulher de Sérgio Cabral

Ex-primeira-dama do Rio, a advogada Adriana Ancelmo é acusada de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa

Redação
Foto: Wilton Júnior/ Estadão Conteúdo
Foto: Wilton Júnior/ Estadão Conteúdo

 

A Justiça Federal decretou nesta terça-feira (6) a prisão da advogada Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, ao aceitar pedido do Ministério Público, segundo informações do Globo.

Também nesta terça, Adriana, Cabral e mais 11 pessoas viraram réus na Lava Jato. A ex-primeira-dama do Rio é acusada de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Há 19 dias, o ex-governador foi preso, apontado como líder de um grupo que desviou no mínimo R$ 224 milhões em obras, como a reforma do Maracanã e o Arco Metropolitano, em troca de aditivos em contratos públicos e incentivos fiscais.

Dois pedidos de prisão contra Adriana haviam sido negados. Desta vez, a Justiça considerou contratos do escritório Ancelmo Advogados com empresas que receberam benefícios fiscais do governo fluminense durante a gestão Cabral e a suspeita de que ela teria prosseguido com as práticas de corrupção e lavagem de dinheiro, já que não teria entregue à força-tarefa da Lava Jato todas as joias compradas pelo casal.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.