Publicado em 28/06/2017 às 18h34.

Lúcio anuncia que Geddel não disputará eleição de 2018

Deputado federal confirmou que irmão “já cumpriu a etapa dele na vida política”, mas defende que o PMDB tem “grandeza” para pleitear vaga na chapa majoritária

Evilasio Junior
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

 

Presidente do PMDB de Salvador e integrante da executiva estadual do partido, o deputado federal Lúcio Vieira Lima confirmou ao bahia.ba, nesta quarta-feira (28), que o seu irmão, Geddel Vieira Lima, está fora da eleição de 2018 e não pretende mais disputar cargos eletivos.

O ex-ministro era um dos nomes especulados para compor uma coligação de oposição ao governador Rui Costa (PT), liderada pelo prefeito ACM Neto (DEM).

“Geddel não tem desejo hoje de disputar eleição. Ele entende que já cumpriu a etapa dele na vida política e que há formas de contribuir com a Bahia sem mandato. É hora de abrir espaço para novos quadros. Ele já disputou duas chapas majoritárias, uma como candidato a governador [2010] e outra como candidato a senador [2014], e perdeu as duas. Ele está desestimulado por achar que não é o momento dele. Inclusive ele já declarou que foi pai aos 40 anos e precisa agora se dedicar aos filhos”, anunciou o peemedebista, ao opinar que as acusações que pesam sobre o irmão são “pirotecnia” porque “não há prova de nada contra ele”.

Embora argumente que “ninguém sabe o dia de amanhã”, ao pontuar que é cedo para discutir a composição da coligação, mesmo quem será o candidato a governador, o parlamentar reafirmou que, independentemente das negociações do PR com o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, hoje no DEM, a sigla peemedebista vai brigar por uma das quatro vagas.

“Alguém tem dúvida da grandeza do PMDB para pleitear uma vaga na chapa de 2018? Nós temos o deputado federal mais votado [ele mesmo], o maior tempo de TV, o presidente da República [Michel Temer], podemos ter os prefeitos das três maiores cidades da Bahia, com Herzem Gusmão [Vitória da Conquista], Bruno Reis [Salvador] e Colbert Martins [Feira], além de uma expressiva bancada na Assembleia Legislativa [cinco parlamentares]”, elencou Lúcio.

O próprio deputado não descarta colocar o seu nome à disposição da formação da chapa.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.