Publicado em 05/12/2016 às 18h17.

Ministro do STF afasta Renan da presidência do Senado

Marco Aurélio Mello atendeu ao pedido da Rede por entender que, como o peemedebista virou réu, não pode continuar no cargo porque está na linha sucessória da Presidência

Redação
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, concedeu nesta segunda-feira (5) uma liminar para afastar Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado. O mérito ainda precisa ser votado pelo plenário do STF, mas, até lá, o efeito é imediato.

O magistrado atendeu ao pedido do partido Rede Sustentabilidade por entender que o peemedebista não pode continuar no cargo, em razão de estar na linha sucessória da Presidência da República. Na última sexta (2), ele virou réu por peculato, apropriação de verbas públicas, por fraudar o recebimento de empréstimos de uma locadora de veículos para pagar pensão à filha que teve com a jornalista Mônica Veloso, fora do seu casamento.

“Defiro a liminar pleiteada. Faço-o para afastar não do exercício do mandato de Senador, outorgado pelo povo alagoano, mas do cargo de Presidente do Senado o senador Renan Calheiros. Com a urgência que o caso requer, deem cumprimento, por mandado, sob as penas da Lei, a esta decisão”, diz Mello na decisão.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.