Publicado em 25/07/2019 às 19h00.

Moro afirmou que mensagens apreendidas com hacker serão destruídas

"Foi isso que me disse o ministro e é isso que tem de ocorrer”, disse o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha

Redação
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

Um dos alvos dos supostos hackers detidos pela Polícia Federal, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha, disse nesta quinta-feira (25), à Folha de S. Paulo, que as mensagens obtidas pelo grupo serão destruídas.

Noronha afirmou que foi comunicado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.

“Recebi pelo ministro Moro a notícia de que fui grampeado. Não tenho nada que esconder, não estou preocupado nesse sentido. […] As mensagens serão destruídas, não tem outra saída. Foi isso que me disse o ministro e é isso que tem de ocorrer”, declarou o presidente do STJ.

Em depoimento ao Senado no dia 19 de junho, Moro defendeu que o site Intercept Brasil, que divulgou as conversas, entregasse o material para perícia.

“Pega o material e entrega para uma autoridade, sem prejuízo da publicação das matérias. Aí vai se poder verificar por inteiro esse material, o contexto no qual ele foi inserido e principalmente verificar se esse material é autêntico ou não. Porque até agora não temos nenhuma demonstração da origem desse material”, declarou o ex-juiz, na ocasião.

Para a Polícia Federal, Walter Delgatti Neto foi a fonte do material que tem sido publicado desde junho pelo site, com diálogos de autoridades da força-tarefa da Lava Jato e do próprio Moro, entre outras autoridades.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.