Publicado em 15/12/2015 às 20h00.

‘DEM tenta desqualificar a prisão de Elinaldo’, afirmam partidos

Vereador foi preso na última quinta-feira (10) acusado de comandar um esquema de jogo do bicho no município baiano

Hieros Vasconcelos

Os diretórios municipais do PT, PMN, PSL, PROS, PR, PCdoB, PSB, PV, PTC, PHS e PTdoB de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, enviaram nota à imprensa, nesta terça-feira (15), em que afirmam apoiar as investigações da Polícia Civil – fruto da Operação Carontes, em parceria com o Ministério Público – que culminaram na prisão do vereador Antônio Elinaldo (DEM), líder da oposição na Câmara Municipal, na última quinta-feira (10).

“Nós, dirigentes dos partidos de Camaçari, registramos nosso apoio às investigações e repúdio à tentativa do DEM de desqualificar o trabalho do Ministério Público, da Justiça Baiana e da Polícia, uma vez que, segundo estes mesmos órgãos, todo o processo foi baseado em provas concretas”, afirmam as legendas.

O edil foi solto no dia seguinte à prisão por força de um habeas corpus. Ele e mais quatro pessoas foram indiciados pelos crimes de jogos de azar, sonegação fiscal, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Entre os acusados estão o irmão e o cunhado do vereador, Cristiano Araújo da Silva e Ivan Pedro Moreira de Souza. Ambos seguem foragidos.

De acordo com o Ministério Púbico da Bahia, as contas bancárias do vereador e dos seus familiares foram bloqueadas. Elinaldo nega o envolvimento com jogos do azar, que funcionavam em três boxes de seus familiares na feira de Camaçari. Segundo o democrata, os espaços estavam sob a responsabilidade do seu irmão mais novo, Cristiano.

“Cabe agora ao vereador, na qualidade de réu, explicar na Justiça o seu grau de envolvimento com a série de delitos investigados há mais de um ano. Até mesmo o Habeas Corpus que garante a liberdade provisória do investigado destaca a veracidade dos fatos”, acrescentam as siglas, no comunicado.

 

PUBLICIDADE